<$BlogRSDUrl$>

mundo
Todas as coisas têm o seu mistério
e a poesia
é o mistério de todas as coisas

Federico García Lorca

Sendo este um BLOG DE MARÉS, a inconstância delas reflectirá a intranquilidade do mundo.
Ficar-nos-á este imperativo de respirar o ar em grandes golfadas.
junho 29, 2013

quadra a Santo António

Apresentando como mote Santo António está pasmado/Milagre já paga imposto, os Amigos de Lisboa promoveram um concurso de quadras alusivas, onde obtive uma Menção Honrosa com o seguinte desenvolvimento:

Santo António está pasmado:
Milagre já paga imposto
E o povo está calado...
Mas se ficar mal disposto?


- Figuras típicas das cascatas de S. João,
em imagem recolhida na casa de artesanato Memórias, na Rua das Flores, no Porto,
que podem acompanhar perfeitamente a quadra acima, 
em saudável comunhão norte-sul

Etiquetas: ,


Afixado por: Jorge Castro (OrCa) / 10:33


junho 27, 2013

GREVE GERAL

Perante o estado a que os nossos desgovernantes conduziram ou deixaram conduzir Portugal e como modo de manifestar o meu repúdio pelas reiteradas decisões e práticas contra os interesses da nação que somos, este autor de Sete Mares encontra-se em greve.

Etiquetas: ,


Afixado por: Jorge Castro (OrCa) / 10:33


junho 23, 2013

Contas x Contos x Cantos e Que +
Cumplicidades Entre Literatura e Matemática

Contámos, com contas, contos e cantos, mas essencialmente com os nossos convidados, Carlos Augusto Ribeiro, Ana Paula Guimarães e Adérito Araújo (nessa sequência, da esquerda para a direita, na imagem abaixo)...  
 

... para nos ilustrarem sobre inesperadas ligações, articulações, enlaces, enfim, as cumplicidades entre a Literatura e a Matemática, saberes entretanto sedimentados nesse livro em volta do qual se realizou esta sessão das Noites com Poemas.




- Ana Paula Guimarães, sempre envolvida em palavras, nos seus jogos e fruição, comunicativa por todos os poros e sempre trazendo consigo o alento necessário e urgente que esses verdadeiros nós entre nós, que são as palavras, nos propiciam.


- Adérito Araújo, de Matemática literalmente vestido, transbordando complexos mas desafiantes conceitos que nos levaram de passeio por entre o caos e até ao infinito, tantas vezes ao colo de um poema.



- Carlos Augusto Ribeiro, que nos propôs uma visita guiada a outros modos de ver (sentir? aperceber?) as palavras, os símbolos que nos rodeiam e enformam, que podemos recontextualizar ou recombinar até ao infinito, também, promovendo outros enlaces, outros entendimentos, outras desvairadas conjugações, tantas quantas o engenho humano se disponha a criar, interpretando.




Pelo caminho e por entre eruditas abordagens aos temas em apreço, saltava, a cada passo, um poema destinado a ilustrar a evidência do que ficava dito e que tem vindo a ser tratado por miríade de autores, tal como o livro Contas x Contos x Cantos e Que +, Cumplicidades entre Literatura e Matemática documenta.





Por fim, como tão bem parece sugerir a imagem seguinte, culminou em êxtase - perdoa-me a brincadeira, Ana Paula... -, ainda que de pés bem assentes na terra, este breve trajecto por saberes que, afinal, se complementam, que compõem e integram o que ao ser humano respeita, saberes que se enriquecem nessa complementarideade e que, assim, dão a si próprios outro sentido, assim como dão, nessa sua envolvência, um sentido mais claro à Vida. Às nossas vidas.


Digo, pois, com todo o à vontade que assim se cumpriu o objectivo deste nosso encontro.

Na parte final e na sequência do que é a matriz destas nossas sessões, afoitou-se quem se afoitou a dar voz aos poemas que o tema da sessão sugeriu ou, até, aqueles outros que apenas a sua vontade ditou...

 - Hélio Proença


- Francisco José Lampreia

- Eduardo Martins

- Emília Azevedo

- Mário Baleizão


Não chegaram até nós, pela distância,  os sons diversos da vizinha Lisboa que por lá orquestradamente agitavam os ares e as gentes, ocorrendo em simultâneo com esta sessão das Noites com Poemas. Mas terá sido, também, este o nosso contributo para o combate ao silêncio das vozes e ao vazio de ideias em que alguns parecem querer mergulhar-nos. E alegremente o fizemos.

A sessão de autógrafos

- Fotografias de Lourdes Calmeiro

Etiquetas:


Afixado por: Jorge Castro (OrCa) / 12:51


junho 18, 2013

convite para Noites com Poemas
Contas x Contos x Cantos e Que +
Cumplicidades Entre Literatura e Matemática



No próximo dia 21 de Junho (sexta-feira), pelas 21h30, na Biblioteca Municipal de Cascais, em São Domingos de Rana, proponho-vos que deitemos contas à vida, até por constar (por aí...) que o tempo vai propício a tais exercícios. Contas x Contos x Cantos e Que +, Cumplicidades entre literatura e matemática é a obra apresentada:

«Matemáticos, poetas, colectores de cantos e contos populares, ensaístas, pedagogos, escritores e artistas plásticos, pessoas sensíveis ou sensibilizadas para as relações tão subtis quanto óbvias entre disciplinas distantes, afinal parentes, todos se prestaram ou emprestaram textos que decidimos organizar em capítulos, a ler um de cada x (sinal inventado no século XVII). Assim nasceu este ousado livro, conjugando verbos com números, aritmética com literaturas e estas com geometria.» - Ana Paula Guimarães, in Apresentação de Contas x Contos x Cantos e Que +.

Contas de outros rosários, contos de reis como de plebeus, cantos também de diversas esquadrias; contas, contos e cantos do que somos, do que fomos e do que seremos, bem enlaçados à vida - que isto anda tudo ligado, lá se diz.

Convidados de peso e substância, todos eles integrando os efectivos do IELT - Instituto de Estudos de Literatura Tradicional (http://www.ielt.org/), com eles contaremos, que isto de imaterialidades está a ficar muito visto, usual e sem eficácia se não tiver recheio que lhe valha:

- Adérito Martins Araújo, doutorado em Matemática Aplicada, é professor Auxiliar no Departamento de Matemática da Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade de Coimbra. Desenvolve investigação no Centro de Matemática da Universidade de Coimbra onde também dirige o Laboratório de Matemática Computacional. É membro da direcção do Centro Internacional de Matemática e editor do CIM Bulletin. É o representante português no Conselho do ECMI (European Consortium for Mathematics and Industry).

- Ana Paula Guimarães, Professora Associada, doutorada em Estudos Portugueses, especialidade de Literatura Oral e Tradicional. Criou e dirige o Instituto de Estudos de Literatura Tradicional (IELT) da Faculdade de Ciências Sociais e Humanas - Universidade Nova de Lisboa.
Últimas obras publicadas: Falas da Terra - Natureza e Ambiente na Tradição Popular Portuguesa, Colibri/IELT (2004); Cuidar da Criação - Galinhas, galos, frangos e pintos da tradição popular portuguesa, Apenas Livros (2002); Artes de Cura e Espanta Males - Espólio de Medicina Popular recolhido por Michel Giacometti, Gradiva/IELT (2009); Contas X Contos X Cantos e que + (org. colaboração de Adérito Araújo), Gradiva/IELT (2012).
Dirige a colecção "a IELTsar se vai ao longe" desde nº1 (2003) ao nº 40 (2012), e duas colecções de folhetos de cordel, "À mão de respigar" (desde 2002, 47 folhetos) e "Bilhetes de Identidade" (desde 2002, 41 folhetos).

- Carlos Augusto Ribeiro, Investigador no Instituto de Estudos de Literatura Tradicional (IELT) da Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da UNL e artista plástico. Última exposição integrada no Festival de Artes na Paisagem, Safira, com a peça intitulada Lacuna (2012). Últimas publicações e dossier de imagens: QUEIROZ, Ana Isabel; ORNELLAS E CASTRO, Inês de, Falas da Terra no século XXI, What do We See Green? Lisboa, Esfera do Caos, 2011; "A matemática é certeira mesmo quando erra", in Contas X Contos X Cantos e que + (org. colaboração de Adérito Araújo). Lisboa, Gradiva/IELT, 2012.

Perdoareis a extensão do convite, ainda que eu faça questão de vos sublinhar que só me atrevo a maçar-vos assim para, conforme o meu limitado entendimento, vosso bem e melhor esclarecimento... Tereis boa oportunidade para confirmar o que fica dito, escrito e contado se pudermos contar também com a vossa presença.

Tragam convosco um amigo, um poema. Em qualquer caso, quem trouxer mãos livres ou um assobio, nem é preciso que saiba cantar, como sugeriria Luiz Goes.

Etiquetas:


Afixado por: Jorge Castro (OrCa) / 12:39


junho 09, 2013

nunc est bibendum... et comendum et cantandum et coetera...
enfim combibendum

Do que se fala aqui é tão simplesmente dessa coisa prosaica e, no entanto, tão transcendente, que é a nobre arte do convívio. 

Alimentada por uma bela comezaina, regada com uma boa vinhaça, temperada de risos e despautérios, estabelecendo enlaces que perdurarão mais ou menos, mas que são, esses sim, novas janelas de oportunidades pelos caminhos dos afectos, buscando muito mais o que una, mesmo que ocasionalmente, do que aquilo que irremediavelmente nos afaste, sem proveito, sem gozo, sem juízo.  

Aos dois de Junho e por Coimbra, no Joaquim dos Leitões, fomos grandes e fomos belos, digo-vos eu, todo vaidoso desta condição de ser humano.


Com crise e com troika e por maus Passos dados e os mais a dar, determinados tão-só por esse ilustre peito lusitano, que mesmo inexplicavelmente tem sempre em si a capacidade de dar novos mundos ao mundo, por ali nos encontrámos. Para alguns uma estreia, outros velhos conhecidos...   


... dando de si cada um o que pôde ou tinha mais à mão, apenas pela alegria do momento, o desvario apetecido, a partilha sem preconceito - pelo menos que se desse por eles... 

Do que por lá se passou, não deixo relato. A sessão era aberta, foi anunciada e lá foi quem quis ou pôde. E a graça está em vivê-la. Qualquer descrição a empobreceria. Lá está: melhor experimentá-lo que julgá-lo, mas julgue-o quem não pôde experimentá-lo














Da Tuna Meliches aos poemas circunstanciais, das rábulas presidencialícias... 


... às deslumbrantes cenas cardinalícias...



... Tanto riso, ó quanta alegria, mais de mil palhaços no salão...



No final, as últimas bençãos...


... e, cá fora, o Bazófias, condescendente, continuava a correr para o mar, como se nada fosse, mesmo sob o olhar atento e curioso de Torga... 

- Fotografias de Lídia Castro, Lourdes Calmeiro e Jorge Castro

Etiquetas: ,


Afixado por: Jorge Castro (OrCa) / 11:15


junho 01, 2013

com o Oeiras Verde, em Oeiras
e com O Montado - um lugar poético, em Coruche

No corre-corre dos dias que se acinzentam, há sempre alguém que, desperto para outros modos de vida, permanece nela alimentando o sonho e lembrando-nos, a cada passo, que da nossa língua vê-se o mar, como nos diria Virgílio Ferreira. Aliás, como referência que norteia os dois eventos de que faço referência a seguir, nada melhor do que as palavras deste autor para o ilustrar:

Uma língua é o lugar donde se vê o Mundo e em que se traçam os limites do nosso pensar e sentir. Da minha língua vê-se o mar. Da minha língua ouve-se o seu rumor,como da de outros se ouvirá o da floresta ou o silêncio do deserto. Por isso a voz do mar foi a da nossa inquietação.


Assim foi, primeiro com o Grupo Oeiras Verde, no Centro Cultural Palácio do Egipto, em Oeiras, no passado dia 25, ocorreram 15 Ecos de Poetas, efeméride que culminou um ano de acções em torno da poesia que Ana Patacho, acompanhada por Lurdes Pereira, Magnólia Filipe, Filomena Vale, Francisca Patrício e Luzia Pinto da Costa naquele espaço levaram a cabo.



Como convidado participei nesta sessão, mas muito mais como companheiro deste grupo que integrei durante algum tempo e do qual me retirei, com suavidade, por manifestamente o tempo não se compadecer com tanta disparidade de exercícios... 


Mas há sempre um tempo para dar ao tempo a oportunidade de um abraço que, aqui, foi também partilhado com a Heloisa Monteiro, a Teresa Rosa, a Teresa Pereira Coutinho, o Luís Cara d'Anjo, o José Rato Machado, o Vox-4... enfim ficou-se aquele espaço plenamente preenchido com os ecos da vozes que importam e, claramente, daquelas janelas passou a ver-se o mar.

     Ver mais informações e imagens deste evento AQUI

*

Depois, no dia 26 e no espaço disponibilizado pela Biblioteca Municipal de Coruche, a Galeria do Mercado, Ana Freitas, muito bem acompanhada de afectos, deu asas concretas a mais um projecto que tem sabido crescer com o húmus do montado. 

Poema a poema, voz a voz, por entre sobreiros e azinheiras e de Sorraia ali mesmo ao lado, pegou de estaca e floresce um projecto que tem também sabido criar as raízes de que se alimenta o futuro.

O Montado - Um Lugar Poético é o segundo livro lançado, com edição da Apenas Livros, nascido e criado pela participação de todos quantos olharam com olhos de ver para este projecto poético e o assumiram como seu.   



Um Poema na Vila, assim se denomina a acção que leva já mais de um ano regular de vida, em Coruche, com participações múltiplas e pluridisciplinares, mas sempre com a poesia como pano de fundo. 


Entre outras, uma belíssima surpresa: o Grupo de Cantares Alentejanos, que nos encheu as medidas com a sua arte de cante. Património imaterial da Humanidade? Claro! Basta ouvi-los... 


- Uma palavra sublinhada, outra vez e sempre, para a Fernanda Frazão, alma mater da editora Apenas Livros, com quem sabemos poder contar para a concretização atempada e interessada de algum projecto, por mais estranho ou original que possa antever-se, mas que consegue chegar a bom porto graças a tais qualidades e virtudes com que dela contamos. 


A mim muito me apraz acompanhar e colaborar com esta iniciativa, que tem contado, também, com o mesmo empenhamento por parte de vários dos colaboradores das Noites com Poemas, que partem de cá das terras de Cascais, em retribuição prazenteira ao movimento inverso que se tem registado, das nossas amigas de Coruche, para com as nossas sessões mensais 


E, pronto, ei-lo! Com capa de cortiça, claro! Edição esgotada no seu lançamento, uma colectânea nascida em sessão com o mesmo nome, oportunamente realizada em Coruche, que integra, também, diversas manifestações plásticas que ocorreram, à data, e que ficam documentadas neste precioso livrinho. 

Ver mais notícia e imagens deste evento AQUI.

- Fotografias de Lourdes Calmeiro

Etiquetas: ,


Afixado por: Jorge Castro (OrCa) / 15:34


Arquivo:
Janeiro 2004 Fevereiro 2004 Março 2004 Abril 2004 Maio 2004 Junho 2004 Julho 2004 Agosto 2004 Setembro 2004 Outubro 2004 Novembro 2004 Dezembro 2004 Janeiro 2005 Fevereiro 2005 Março 2005 Abril 2005 Maio 2005 Junho 2005 Julho 2005 Agosto 2005 Setembro 2005 Outubro 2005 Novembro 2005 Dezembro 2005 Janeiro 2006 Fevereiro 2006 Março 2006 Abril 2006 Maio 2006 Junho 2006 Julho 2006 Agosto 2006 Setembro 2006 Outubro 2006 Novembro 2006 Dezembro 2006 Janeiro 2007 Fevereiro 2007 Março 2007 Abril 2007 Maio 2007 Junho 2007 Julho 2007 Agosto 2007 Setembro 2007 Outubro 2007 Novembro 2007 Dezembro 2007 Janeiro 2008 Fevereiro 2008 Março 2008 Abril 2008 Maio 2008 Junho 2008 Julho 2008 Agosto 2008 Setembro 2008 Outubro 2008 Novembro 2008 Dezembro 2008 Janeiro 2009 Fevereiro 2009 Março 2009 Abril 2009 Maio 2009 Junho 2009 Julho 2009 Agosto 2009 Setembro 2009 Outubro 2009 Novembro 2009 Dezembro 2009 Janeiro 2010 Fevereiro 2010 Março 2010 Abril 2010 Maio 2010 Junho 2010 Julho 2010 Agosto 2010 Setembro 2010 Outubro 2010 Novembro 2010 Dezembro 2010 Janeiro 2011 Fevereiro 2011 Março 2011 Abril 2011 Maio 2011 Junho 2011 Julho 2011 Agosto 2011 Setembro 2011 Outubro 2011 Novembro 2011 Dezembro 2011 Janeiro 2012 Fevereiro 2012 Março 2012 Abril 2012 Maio 2012 Junho 2012 Julho 2012 Agosto 2012 Setembro 2012 Outubro 2012 Novembro 2012 Dezembro 2012 Janeiro 2013 Fevereiro 2013 Março 2013 Abril 2013 Maio 2013 Junho 2013 Julho 2013 Agosto 2013 Setembro 2013 Outubro 2013 Novembro 2013 Dezembro 2013 Janeiro 2014 Fevereiro 2014 Março 2014 Abril 2014 Maio 2014 Junho 2014 Julho 2014 Agosto 2014 Setembro 2014 Outubro 2014 Novembro 2014 Dezembro 2014 Janeiro 2015 Fevereiro 2015 Março 2015 Abril 2015 Maio 2015 Junho 2015 Julho 2015 Agosto 2015 Setembro 2015 Outubro 2015 Novembro 2015 Dezembro 2015 Janeiro 2016 Fevereiro 2016 Março 2016 Abril 2016 Maio 2016 Junho 2016 Julho 2016 Agosto 2016 Setembro 2016 Outubro 2016 Novembro 2016 Dezembro 2016 Janeiro 2017 Fevereiro 2017 Março 2017 Abril 2017 Maio 2017 Junho 2017 Julho 2017

This page is powered by Blogger. Isn't yours?Weblog Commenting by HaloScan.com



noites com poemas 2


capa do livro Farândola do Solstício
Obras publicadas
por Jorge Castro

contacto: jc.orca@gmail.com

Autor em

logo Apenas

Colaborador de

logo IELT

Freezone

logo Ler Devagar


Correntes de referência:
80 Anos de Zeca
... Até ao fim do mundo!
Aventar
Encontro de Gerações (Rafael)
É sobre o Fado (João Vasco)
Conversas do Café Grilo
Espaço e Memória - Associação Cultural de Oeiras
Final Cut - o blogue de cinema da Visão
Oeiras Local
O MOSCARDO
Poema Dia
Profundezas

Correntes de proximidade:
A Funda São
Amorizade (Jacky)
A Música das Palavras (Jaime Latino Ferreira)
Anomalias (Morfeu)
Ars Integrata
Ars Litteraria
Ars Poetica 2U
As Causas da Júlia (Júlia Coutinho)
As Minhas Romãs(Paula Raposo)
Belgavista (Pessoana)
Blogimmas
Blogotinha
Bloguices
Câimbras Mentais (AnAndrade)
Carlos Peres Feio
chez maria (maria árvore)
Coisas do Gui
deevaagaar
Divulgar Oeiras Verde (Ana Patacho)
e dixit (Edite Gil)
Fotos de Dionísio Leitão
Garganta do Silêncio (Tiago Moita)
Isabel Gouveia
Itinerário (Márcia Maia)
Metamorfases
Mudança de Ventos (Márcia Maia)
Mystic's
Nau Catrineta
Notas e Comentários (José d'Encarnação)
Novelos de Silêncio (Eli)
Pedro Laranjeira
o estado das artes
Palavras como cerejas (Eduardo Martins)
Parágrafos Inacabados (Raquel Vasconcelos)
O meu sofá amarelo (Alex Gandum)
Persuacção - o blog (Paulo Moura)
Queridas Bibliotecas (José Fanha)
Raims's blog
Relógio de Pêndulo (Herético)
Risocordeluz (Risoleta)
Rui Zink versos livros
Repensando (sei lá...)
sombrasdemim (Clarinda Galante)
Tábua de Marés (Márcia Maia)
Valquírias (Francília Pinheiro)
Vida de Vidro
WebClub (Wind)

Correntes de Ver:
desenhos do dia (João Catarino)
Esboço a Vários Traços

Correntes Auspiciosas:
ABC dos Miúdos
Manifesto-me
Netescrita
Provérbios

Correntes Favoráveis
A P(h)oda das Árvores Ornamentais
Atento (Manuel Gomes)
A Paixão do Cinema
A Razão Tem Sempre Cliente
A Verdade da Mentira
Bettips
Blog do Cagalhoum
Cadeira do Poder
CoeXist (Golfinho)
Congeminações
Crónica De Uma Boa Malandra
Desabafos - Casos Reais
Diário De Um Pintelho
Editorial
Escape da vida...
Espectacológica
Eu e os outros...
Eu sei que vou te amar
Fundação ACPPD
Grilinha
Há vida em Markl
Hammer, SA
Horas Negras
Intervalos (sei lá...)
João Tilly
Lobices
Luminescências
Murcon (de JMVaz)
Nada Ao Acaso
NimbyPolis (Nilson)
O Blog do Alex
O Bosque da Robina
O Jumento
(O Vento Lá Fora)
Outsider (Annie Hall)
Prozacland
O Souselense
O Vizinho
Palavras em Férias
Pastel de Nata (Nuno)
Peciscas
Pelos olhos de Caterina
Primeira Experiência
Publicus
Puta De Vida... Ou Nem Tanto
Santa Cita
The Braganzzzza Mothers
Titas on line
Titas on line 3
Senda Doce
TheOldMan
Traduzir-se... Será Arte?
Um pouco de tudo (Claudia)
Ventosga (João Veiga)
Voz Oblíqua (Rakel)
Zero de Conduta
Zurugoa (bandido original)

Corrente de Escritas:
A Arquitectura das Palavras (Lupus Signatus)
Além de mim (Dulce)
Ana Luar
Anukis
Arde o Azul (Maat)
Ao Longe Os Barcos De Flores (Amélia Pais)
Babushka (Friedrich)
baby lónia
Branco e Preto II (Amita)
Biscates (Circe)
blue shell
Cartas Perdidas (Alexandre Sousa)
Chez Maria (Maria Árvore)
Claque Quente
2 Dedos de Prosa e Poesia
Escarpado (Eagle)
Erotismo na Cidade
Fôlego de um homem (Fernando Tavares)
Há mais marés
Humores (Daniel Aladiah)
Insónia (Henrique Fialho)
Klepsidra (Augusto Dias)
Letras por Letras
Lua de Lobos
Lus@arte (Luí­sa)
Mandalas Poemas
Menina Marota
Novos Voos (Yardbird)
O Eco Das Palavras (Paula Raposo)
Porosidade Etérea (Inês Ramos)
O Sí­tio Do Poema (Licínia Quitério)
Odisseus
Paixão pelo Mar (Sailor Girl)
Palavras de Ursa (Margarida V.)
Palavrejando (M.P.)
Poemas E Estórias De Querer Sonhar
Poesia Portuguesa
Poetizar3 (Alexandre Beanes)
Serena Lua (Aziluth)
Sombrasdemim (Maria Clarinda)
Sopa de Nabos (Firmino Mendes)
T. 4 You (Afrodite)
Uma Cigarra Na Paisagem (Gisela Cañamero)
Xanax (Susanagar)

A Poesia Nos Blogs - equipagem:
A luz do voo (Maria do Céu Costa)
A Páginas Tantas (Raquel)
ante & post
As Causas da Júlia
Cí­rculo de Poesia
Confessionário do Dilbert
Desfolhada (Betty)
Estranhos Dias e Corpo do Delito (TMara)
Extranumerário (GNM)
Fantasias (Teresa David)
Fata Morgana... ou o claro obscuro
Jorge Moreira
MisteriousSpirit (Sofia)
Passionatta (Sandra Feliciano)
Peças soltas de um puzzle
Poemas de Trazer por Casa e Outras Estórias - Parte III
Poesia Viva (Isabel e José António)
Poeta Salutor (J.T. Parreira)
Que bem cheira a maresia (Mar Revolto-Lina)
Sais Minerais (Alexandre)
Silver Soul
Sombra do Deserto (Rui)

Navegações com olhos de ver:
Em linha recta (lmatta)
Fotoescrita
gang00's PhotoBlog
Nitrogénio
Objectiva 3
Pontos-de-Vista
Rain-Maker
O blog da Pimentinha (M.P.)
Passo a Passo
Portfólio Fotográfico (Lia)
Words (Wind)

Já navegámos juntos...
Aliciante (Mad)
A Rádio em Portugal (Jorge G. Silva)
Atalhos e Atilhos
Cu bem bom
Encandescente
Geosapiens
Incomensurável
Isso Agora...
Letras com Garfos (Orlando)
Luz & Sombra
Pandora's Box
Pés Quentinhos
Praça da República em Beja (nikonman)
SirHaiva
Testar a vida
Tuna Meliches

Correntes de Consulta:
Abrupto
A Lâmpada Mágica
Aviz
Blogopédia...
Bloguítica
Contra a Corrente
Contra a Corrente
Conversas de Merda
Cravo e Canela
Do Portugal Profundo
Inépcia
Médico explica medicina a intelectuais
Oficina das Ideias
Portugal No Seu Pior
Professorices
República Digital
Retórica e Persuasão
Ser Português (Ter Que)
You've Got Mail

Correntes interrompidas:
A Nau Catrineta (zecadanau)
Aroma de Mulher (Analluar)
A Voz do Fado!
blog d'apontamentos (Luí­s Ene)
Catedral (ognid)
Cidadão do Mundo
Conversas de Xaxa 2
CORART - Associação de Artesanato de Coruche
Cumplicidades (Maria Branco)
Flecha
Fraternidades (Fernando B.)
Ilha dos Mutuns(Batista Filho)
Histórias do mundo (Clara e Miguel)
Lazuli (Fernanda Guadalupe)
luz.de.tecto (o5elemento)
Letras ao Acaso
Madrigal - blog de poesia
Mulher dos 50 aos 60 (Lique)
O Mirmidão
O soldadinho de chumbo
Palavras de Algodão (Cris)
podiamsermais (Carlos Feio)
Poemas de Manuel Filipe
Porquinho da Índia (Bertus)
Um Conto à Quinta
Xis Temas (António San)

noites com poemas