<$BlogRSDUrl$>

mundo
Todas as coisas têm o seu mistério
e a poesia
é o mistério de todas as coisas

Federico García Lorca

Sendo este um BLOG DE MARÉS, a inconstância delas reflectirá a intranquilidade do mundo.
Ficar-nos-á este imperativo de respirar o ar em grandes golfadas.
julho 30, 2006

A POESIA NOS BLOGS

Como previsto, o nosso livro nasceu e foi distribuído por todos os autores que se deslocaram à Póvoa de Santarém, em agradável convívio. Todos aqueles autores que não puderam estar presentes, deverão entrar em contacto com a editora Apenas Livros, para combinarem recepção dos exemplares encomendados ou a encomendar.

Para os demais, eventuais interessados, as 170 páginas do nosso livro têm um preço de capa de 10 € (dez euros) e podem ser encomendados a cada um dos autores. No meu caso, basta dirigir um email nesse sentido para jorcas@netcabo.pt

E está aí o NOSSO livro. Cheio de diferenças, de diversidades e de individualismos e, ainda assim, o NOSSO livro. A prova da união possível no desencontro do mundo.

Do livro, lá pelo nosso encontro, eu tive oportunidade de dizer o seguinte:



Há algo de salutarmente primitivo no nosso livro, um fugaz regresso aos primórdios matriarcais: todos sabemos quem foi a mãe, mas pais todos o fomos, de algum modo… Será ele, talvez, um pouco da Mátria de que nos falava a Natália Correia.

Depois, interessa realçar, também, o facto de estarmos em presença de um exemplo vivo de um conceito que eu, pela parte que me toca, muito gostaria de ver multiplicado por mil, por um milhão, pela Terra toda e, emfim – porque não? – pelo universo.

Não o de sermos “todos diferentes, todos iguais”, que pode valer como slogan localizado e pontual, mas pode também vir a revelar-se uma grande chatice.

Mas sim o de, sendo diferentes, diversos, diversificados – como interessa que o sejamos e é essa a nossa abençoada matriz a acompanhar-nos pela vida fora – ainda assim, sermos capazes de criar entre nós as pontes que nos aproximam, que nos fazem cúmplices dessa vida e que nos impelem a seguir em frente.

Essa é, para mim e sem margem para dúvidas, a alma deste livro.

Não se me dá de saber quantos doutores, engenheiros, cavadores, pedreiros ou, mesmo, gentes de marinhagens é que o compõem.

Mas livrai-nos, senhores, dos literatos feitos ervas daninhas ou dos bichinhos de prata das bibliotecas, que esses comem-nos o papel, bebem-nos o sangue da inspiração e têm indigestão de palavras!...

Apenas e só pessoas que, pelas estradas da net, souberam construir caminhos… que nos conduziram a todos à Quinta da Ribeirinha e que ninguém, em seu imperfeito juízo, pode saber onde irá parar.

E o veículo utilizado, cheio de energias alternativas, foi, no caso, a poesia.

E como é tão doce este vinho, por nós, os autores e os nossos amigos, pelos presentes e pelos ausentes, ergamos as nossas taças e brindemos a todos!

À poesia e à Vida!
- Jorge Castro - Quinta da Ribeirinha - 29 de Julho de 2007

Etiquetas: , ,


Afixado por: Jorge Castro (OrCa) / 22:25


julho 27, 2006

fotografando o dia (38)



todos diferentes

fui ao mar apanhar búzios
dos mais pequenos que havia
deles já só cascas de búzios
que bicho neles não havia

apanhei um depois dois
depois três foi um pagode
pois iguais não tinha dois
cada qual com seu bigode

trouxe-os junto comigo
um a um e dois a dois
eu me mim e também migo
diferentes pois… e depois?...

todos eles brincam comigo

foto e poema de Jorge Castro

Etiquetas:


Afixado por: Jorge Castro (OrCa) / 19:23


julho 23, 2006

fotografando o dia (37)


Líbano e Israel
e as fronteiras criadas na Humanidade
tão efémeras no intemporal da Terra
ainda que o vento
como após a tempestade
há-de abrir de novo o céu que a nuvem encerra

entretanto
esse caudal de sangue imenso
sobre o homem
a mulher e a criança
é um rio de que o lucro se alimenta
ou um mar que no ódio se sustenta

e que apurámos neste tempo de delícias
tropeçando no espanto das notícias

foto e poema de Jorge Castro


Perguntou-me alguém se eu tinha a noção de que a divulgação do cartaz acima tinha subjacente uma tomada de posição a favor de uma das partes envolvidas no conflito...

A resposta é afirmativa e, para além de outros pruridos geo-estratégicos, não pode deixar de o ser enquanto cada civil morto do lado de Israel for um "civil inocente" mas ser sempre um perigoso apoiante do Hezbollah quando a sua morte ocorre do outro lado da fronteira.

Etiquetas: , ,


Afixado por: Jorge Castro (OrCa) / 09:49


julho 18, 2006

A POESIA NOS BLOGS



O nosso livro já se encontra em processo de nascimento.

A capa que se anuncia é da autoria de Alexandre Castro.

A partir do próximo dia 29 de Julho, o livro estará disponível ou através dos autores cujos blogs se encontram identificados ali do lado direito do Sete Mares, ou através da editora Apenas Livros.

É um momento importante para cada um dos envolvidos: a prova cabal de que na procura dos caminhos podem gerar-se encontros, através daquilo que nos possa unir... E que assim é na vida como nos livros.

Com todos os que participaram neste projecto, ergo a minha taça e brindo à Vida.


Entretanto, na Biblioteca Municipal de Cascais, em São Domingos de Rana, no dia 19 (quarta-feira), pelas 22 h, haverá mais uma sessão de NOITES COM POEMAS. Desta vez o tema será: Pseudónimos e Heterónimos.
Se estás por perto, não queres aparecer?



Etiquetas: , ,


Afixado por: Jorge Castro (OrCa) / 12:43


julho 14, 2006

fotografando o dia (36)



sou burro pelas orelhas
dos meus pés às sobrancelhas
deram-me esta vida tosca
de ficar sempre com a mosca
e zurro tanto de burro
como algum outro casmurro

- e o que se lhe há-de fazer?
ó meu irmão diz-me então
se nascer burro é razão
p'ra só burro ter de ser…

foto e poema de Jorge Castro

Etiquetas:


Afixado por: Jorge Castro (OrCa) / 23:25


julho 10, 2006

A POESIA NOS BLOGS - notícia em primeira mão

Em Março do corrente ano teve lugar um excelente encontro de poesia na Quinta da Ribeirinha, na Póvoa de Santarém, que congregou para cima de uma trintena de autores de blogs que, de uma forma ou de outra, respiram na poesia uma forma de estar na vida.

Com o envolvimento empenhado da editora Apenas Livros, nasceu, desse encontro, um livro que reune os poemas (mais de uma centena) dos autores presentes, abrangendo um leque bem representativo e diversificado das abordagens possíveis pelos caminhos da poesia.

Muito, muito em breve esse livro estará disponível... talvez num blog bem perto de si!

Estejam atentos. Haverá novidades, a curto prazo.

Afixado por: Jorge Castro (OrCa) / 22:57


julho 08, 2006

05 de Julho - à Mãe Tina
(a minha, claro!), com um beijo



entre tratos de polé que a vida nos traz e conta
cumprir-se oitenta já é coisa brava e de tal monta
que nem se me dá até
brincar com a desmesura

quarenta qualquer um faz cinquenta é meia aventura
só sessenta o que é capaz de andar da vida à procura
e se tenta contumaz
com o que ela traz viajante

e no redondo vocábulo entre um dia perturbante
e outro ao rés do opróbio ficar assim radiante
lançar vida qual discóbolo
céus afora sem destino

e ter da vida a sageza vertida em olhar menino
de a viver com a certeza de que a vida é o nosso hino
de que é feita entre a beleza
de um olhar de uma flor

e ser Mãe em cada dia e ter esse dom maior
de chorar só de alegria ou de rir de algo menor
de sombra ou melancolia
qual dia a entardecer

e o noventa que vier
tem oitenta neste dia
nessa graça e harmonia
de ser Mãe por assim ser

- foto e poema de Jorge Castro

Etiquetas: ,


Afixado por: Jorge Castro (OrCa) / 08:33


julho 06, 2006

ponto final no interlúdio futebolístico

Pronto. Acabou o devaneio campeónico. Portugal perdeu com a França, isto é, a selecção portuguesa perdeu com a selecção francesa, a qual até ganhou mal. Mas lá ganhou. A "selecção das quinas" até jogou benzinho e foi bastante roubadinha, como é costume, benza-a Deus, para nossa glória na amargura...

Agora, temos a educação, a saúde, o emprego (ou as respectivas faltas de) para continuarmos a entreter-nos.
E há o Sócrates, lembram-se?
E o IRS devolvido cada vez mais tarde.
E a gasolina cada vez mais cara.
E a criançada lusa a ir nascer à Espanha que a pariu.
E os professores à beira de um ataque de nervos.
E, porventura, os nervos à beira do ataque de algum professor.
E as estradas deploráveis.
E a morte nas estradas deploráveis.
E o selo do carro para pagar.
E o betão invadindo as câmaras.
E as câmaras à pedrada ao futuro.
E esta ansiedade de saber qual o disparate governamental que o dia de amanhã nos trará.
E as dores nas costas de um ministro talvez cansado de trazer Costas às costas.
E a idade da reforma a competir com o Matusalém.
E a espera que se desespera nos Centros de Saúde.
E os velhos que morrem de desamparo ao colo de filhos desamparados.
E o Euro. E a convergência. E a abstinência. E a complacência.
E os orquestrais analistas políticos.
E os orquestrados políticos analistas.
E...


Ora, vou deitar-me e dormir uma bela soneca, que amanhã penso nisso tudo...

Afixado por: Jorge Castro (OrCa) / 00:00


julho 04, 2006

a um dia da semi-final –
considerações pouco patrioteiras sobre a arte de pontapear a bola à portuguesa

Antes de mais e sem alimentar equívocos, uma declaração: vou ver o jogo e vou torcer pela selecção portuguesa, sim senhores. Posto isto, duas ou três reflexões:

- Alemanha, França, Itália e Portugal… Combinação bizarra. Como é que chegámos lá? Com pernas e peito, claro e determinação e essas coisas todas e mais o Scolari, com certeza e tal e coisa.

E rios de dinheiro, também, num país que tem muito poucas semelhanças de recursos com os demais. No país das maiores assimetrias sociais de toda a Europa onde, mais do que em qualquer outro, as classes possidentes, por razões que uma data de teóricos e práticos já explicaram à exaustão, estão interessadíssimas em promover o pão (quanto baste para matar a fome) e o circo (em que tanto palhaço se ri de si próprio).

Depois, é fatalidade sistémica que os portugueses – geneticamente iguais a todos os outros – tenham de passar pela diáspora para se revelarem competentes no concerto das nações? É que, com a excepção de um ou dois, todos os demais jogadores andam espalhados por essa Europa fora, já repararam?… Cá, para utilizar o vernáculo da bola, não conseguimos entrosar-nos. Mais do que um é multidão. Vamos lá para fora… e é um ver se te avias de trabalho em equipa e outras modernices!

Aliás, tal como a TAP, aparentemente, só foi capaz de levantar voo com um piloto brasileiro, também no pontapé na bola, não fora mister Flipão e não passaríamos talvez das misérias à Saltillo… É interessante e ajuda a diversificar paranóias: já não serão apenas os Castelhanos a conquistarem-nos; afinal, também poderão ser os Brasileiros, até com maior acessibilidade linguística.

Bandeiras? Ora, assim como assim, sempre é melhor que nada para alevantar o ânimo molengão. E hino e tudo! Vamo-nos a eles!

Só é pena que os egrégios avós tenham de passar a reformar-se tão tarde!

Afixado por: Jorge Castro (OrCa) / 20:37


Arquivo:
Janeiro 2004 Fevereiro 2004 Março 2004 Abril 2004 Maio 2004 Junho 2004 Julho 2004 Agosto 2004 Setembro 2004 Outubro 2004 Novembro 2004 Dezembro 2004 Janeiro 2005 Fevereiro 2005 Março 2005 Abril 2005 Maio 2005 Junho 2005 Julho 2005 Agosto 2005 Setembro 2005 Outubro 2005 Novembro 2005 Dezembro 2005 Janeiro 2006 Fevereiro 2006 Março 2006 Abril 2006 Maio 2006 Junho 2006 Julho 2006 Agosto 2006 Setembro 2006 Outubro 2006 Novembro 2006 Dezembro 2006 Janeiro 2007 Fevereiro 2007 Março 2007 Abril 2007 Maio 2007 Junho 2007 Julho 2007 Agosto 2007 Setembro 2007 Outubro 2007 Novembro 2007 Dezembro 2007 Janeiro 2008 Fevereiro 2008 Março 2008 Abril 2008 Maio 2008 Junho 2008 Julho 2008 Agosto 2008 Setembro 2008 Outubro 2008 Novembro 2008 Dezembro 2008 Janeiro 2009 Fevereiro 2009 Março 2009 Abril 2009 Maio 2009 Junho 2009 Julho 2009 Agosto 2009 Setembro 2009 Outubro 2009 Novembro 2009 Dezembro 2009 Janeiro 2010 Fevereiro 2010 Março 2010 Abril 2010 Maio 2010 Junho 2010 Julho 2010 Agosto 2010 Setembro 2010 Outubro 2010 Novembro 2010 Dezembro 2010 Janeiro 2011 Fevereiro 2011 Março 2011 Abril 2011 Maio 2011 Junho 2011 Julho 2011 Agosto 2011 Setembro 2011 Outubro 2011 Novembro 2011 Dezembro 2011 Janeiro 2012 Fevereiro 2012 Março 2012 Abril 2012 Maio 2012 Junho 2012 Julho 2012 Agosto 2012 Setembro 2012 Outubro 2012 Novembro 2012 Dezembro 2012 Janeiro 2013 Fevereiro 2013 Março 2013 Abril 2013 Maio 2013 Junho 2013 Julho 2013 Agosto 2013 Setembro 2013 Outubro 2013 Novembro 2013 Dezembro 2013 Janeiro 2014 Fevereiro 2014 Março 2014 Abril 2014 Maio 2014 Junho 2014 Julho 2014 Agosto 2014 Setembro 2014 Outubro 2014 Novembro 2014 Dezembro 2014 Janeiro 2015 Fevereiro 2015 Março 2015 Abril 2015 Maio 2015 Junho 2015 Julho 2015 Agosto 2015 Setembro 2015 Outubro 2015 Novembro 2015 Dezembro 2015 Janeiro 2016 Fevereiro 2016 Março 2016 Abril 2016 Maio 2016 Junho 2016 Julho 2016 Agosto 2016 Setembro 2016 Outubro 2016 Novembro 2016 Dezembro 2016 Janeiro 2017 Fevereiro 2017 Março 2017 Abril 2017 Maio 2017 Junho 2017 Julho 2017 Agosto 2017 Setembro 2017

This page is powered by Blogger. Isn't yours?Weblog Commenting by HaloScan.com



noites com poemas 2


capa do livro Farândola do Solstício
Obras publicadas
por Jorge Castro

contacto: jc.orca@gmail.com

Autor em

logo Apenas

Colaborador de

logo IELT

Freezone

logo Ler Devagar


Correntes de referência:
80 Anos de Zeca
... Até ao fim do mundo!
Aventar
Encontro de Gerações (Rafael)
É sobre o Fado (João Vasco)
Conversas do Café Grilo
Espaço e Memória - Associação Cultural de Oeiras
Final Cut - o blogue de cinema da Visão
Oeiras Local
O MOSCARDO
Poema Dia
Profundezas

Correntes de proximidade:
A Funda São
Amorizade (Jacky)
A Música das Palavras (Jaime Latino Ferreira)
Anomalias (Morfeu)
Ars Integrata
Ars Litteraria
Ars Poetica 2U
As Causas da Júlia (Júlia Coutinho)
As Minhas Romãs(Paula Raposo)
Belgavista (Pessoana)
Blogimmas
Blogotinha
Bloguices
Câimbras Mentais (AnAndrade)
Carlos Peres Feio
chez maria (maria árvore)
Coisas do Gui
deevaagaar
Divulgar Oeiras Verde (Ana Patacho)
e dixit (Edite Gil)
Fotos de Dionísio Leitão
Garganta do Silêncio (Tiago Moita)
Isabel Gouveia
Itinerário (Márcia Maia)
Metamorfases
Mudança de Ventos (Márcia Maia)
Mystic's
Nau Catrineta
Notas e Comentários (José d'Encarnação)
Novelos de Silêncio (Eli)
Pedro Laranjeira
o estado das artes
Palavras como cerejas (Eduardo Martins)
Parágrafos Inacabados (Raquel Vasconcelos)
O meu sofá amarelo (Alex Gandum)
Persuacção - o blog (Paulo Moura)
Queridas Bibliotecas (José Fanha)
Raims's blog
Relógio de Pêndulo (Herético)
Risocordeluz (Risoleta)
Rui Zink versos livros
Repensando (sei lá...)
sombrasdemim (Clarinda Galante)
Tábua de Marés (Márcia Maia)
Valquírias (Francília Pinheiro)
Vida de Vidro
WebClub (Wind)

Correntes de Ver:
desenhos do dia (João Catarino)
Esboço a Vários Traços

Correntes Auspiciosas:
ABC dos Miúdos
Manifesto-me
Netescrita
Provérbios

Correntes Favoráveis
A P(h)oda das Árvores Ornamentais
Atento (Manuel Gomes)
A Paixão do Cinema
A Razão Tem Sempre Cliente
A Verdade da Mentira
Bettips
Blog do Cagalhoum
Cadeira do Poder
CoeXist (Golfinho)
Congeminações
Crónica De Uma Boa Malandra
Desabafos - Casos Reais
Diário De Um Pintelho
Editorial
Escape da vida...
Espectacológica
Eu e os outros...
Eu sei que vou te amar
Fundação ACPPD
Grilinha
Há vida em Markl
Hammer, SA
Horas Negras
Intervalos (sei lá...)
João Tilly
Lobices
Luminescências
Murcon (de JMVaz)
Nada Ao Acaso
NimbyPolis (Nilson)
O Blog do Alex
O Bosque da Robina
O Jumento
(O Vento Lá Fora)
Outsider (Annie Hall)
Prozacland
O Souselense
O Vizinho
Palavras em Férias
Pastel de Nata (Nuno)
Peciscas
Pelos olhos de Caterina
Primeira Experiência
Publicus
Puta De Vida... Ou Nem Tanto
Santa Cita
The Braganzzzza Mothers
Titas on line
Titas on line 3
Senda Doce
TheOldMan
Traduzir-se... Será Arte?
Um pouco de tudo (Claudia)
Ventosga (João Veiga)
Voz Oblíqua (Rakel)
Zero de Conduta
Zurugoa (bandido original)

Corrente de Escritas:
A Arquitectura das Palavras (Lupus Signatus)
Além de mim (Dulce)
Ana Luar
Anukis
Arde o Azul (Maat)
Ao Longe Os Barcos De Flores (Amélia Pais)
Babushka (Friedrich)
baby lónia
Branco e Preto II (Amita)
Biscates (Circe)
blue shell
Cartas Perdidas (Alexandre Sousa)
Chez Maria (Maria Árvore)
Claque Quente
2 Dedos de Prosa e Poesia
Escarpado (Eagle)
Erotismo na Cidade
Fôlego de um homem (Fernando Tavares)
Há mais marés
Humores (Daniel Aladiah)
Insónia (Henrique Fialho)
Klepsidra (Augusto Dias)
Letras por Letras
Lua de Lobos
Lus@arte (Luí­sa)
Mandalas Poemas
Menina Marota
Novos Voos (Yardbird)
O Eco Das Palavras (Paula Raposo)
Porosidade Etérea (Inês Ramos)
O Sí­tio Do Poema (Licínia Quitério)
Odisseus
Paixão pelo Mar (Sailor Girl)
Palavras de Ursa (Margarida V.)
Palavrejando (M.P.)
Poemas E Estórias De Querer Sonhar
Poesia Portuguesa
Poetizar3 (Alexandre Beanes)
Serena Lua (Aziluth)
Sombrasdemim (Maria Clarinda)
Sopa de Nabos (Firmino Mendes)
T. 4 You (Afrodite)
Uma Cigarra Na Paisagem (Gisela Cañamero)
Xanax (Susanagar)

A Poesia Nos Blogs - equipagem:
A luz do voo (Maria do Céu Costa)
A Páginas Tantas (Raquel)
ante & post
As Causas da Júlia
Cí­rculo de Poesia
Confessionário do Dilbert
Desfolhada (Betty)
Estranhos Dias e Corpo do Delito (TMara)
Extranumerário (GNM)
Fantasias (Teresa David)
Fata Morgana... ou o claro obscuro
Jorge Moreira
MisteriousSpirit (Sofia)
Passionatta (Sandra Feliciano)
Peças soltas de um puzzle
Poemas de Trazer por Casa e Outras Estórias - Parte III
Poesia Viva (Isabel e José António)
Poeta Salutor (J.T. Parreira)
Que bem cheira a maresia (Mar Revolto-Lina)
Sais Minerais (Alexandre)
Silver Soul
Sombra do Deserto (Rui)

Navegações com olhos de ver:
Em linha recta (lmatta)
Fotoescrita
gang00's PhotoBlog
Nitrogénio
Objectiva 3
Pontos-de-Vista
Rain-Maker
O blog da Pimentinha (M.P.)
Passo a Passo
Portfólio Fotográfico (Lia)
Words (Wind)

Já navegámos juntos...
Aliciante (Mad)
A Rádio em Portugal (Jorge G. Silva)
Atalhos e Atilhos
Cu bem bom
Encandescente
Geosapiens
Incomensurável
Isso Agora...
Letras com Garfos (Orlando)
Luz & Sombra
Pandora's Box
Pés Quentinhos
Praça da República em Beja (nikonman)
SirHaiva
Testar a vida
Tuna Meliches

Correntes de Consulta:
Abrupto
A Lâmpada Mágica
Aviz
Blogopédia...
Bloguítica
Contra a Corrente
Contra a Corrente
Conversas de Merda
Cravo e Canela
Do Portugal Profundo
Inépcia
Médico explica medicina a intelectuais
Oficina das Ideias
Portugal No Seu Pior
Professorices
República Digital
Retórica e Persuasão
Ser Português (Ter Que)
You've Got Mail

Correntes interrompidas:
A Nau Catrineta (zecadanau)
Aroma de Mulher (Analluar)
A Voz do Fado!
blog d'apontamentos (Luí­s Ene)
Catedral (ognid)
Cidadão do Mundo
Conversas de Xaxa 2
CORART - Associação de Artesanato de Coruche
Cumplicidades (Maria Branco)
Flecha
Fraternidades (Fernando B.)
Ilha dos Mutuns(Batista Filho)
Histórias do mundo (Clara e Miguel)
Lazuli (Fernanda Guadalupe)
luz.de.tecto (o5elemento)
Letras ao Acaso
Madrigal - blog de poesia
Mulher dos 50 aos 60 (Lique)
O Mirmidão
O soldadinho de chumbo
Palavras de Algodão (Cris)
podiamsermais (Carlos Feio)
Poemas de Manuel Filipe
Porquinho da Índia (Bertus)
Um Conto à Quinta
Xis Temas (António San)

noites com poemas