<$BlogRSDUrl$>

mundo
Todas as coisas têm o seu mistério
e a poesia
é o mistério de todas as coisas

Federico García Lorca

Sendo este um BLOG DE MARÉS, a inconstância delas reflectirá a intranquilidade do mundo.
Ficar-nos-á este imperativo de respirar o ar em grandes golfadas.
março 31, 2006

Hoje, com votos de uma boa gargalhada:
Acabadinha de chegar à minha caixa de correio

Asseguram-me que são textos reais, escritos em centros paroquiais autênticos, que alguém se dedicou a copiar de quadros informativos desses centros. O riso, certamente, será genuíno.


ANÚNCIOS PAROQUIAIS

“Para quantos de entre vós têm filhos e não o sabem, temos um espaço preparado para as crianças.”

“Recordai na oração todos aqueles que estão cansados e desconfiam da nossa paróquia.”

“O torneio de basquet das paróquias continua com a partida da próxima quarta-feira à tarde: vinde animar-nos, enquanto procuramos derrotar Cristo Rei.”

“Por favor, metei as vossas ofertas dentro de um sobrescrito, juntamente com os defuntos que quereis fazer recordar.”

“O pároco acenderá a sua vela na do altar. O diácono acenderá a sua na do pároco e, voltando-se, acenderá um a um todos os fiéis da primeira fila.”

“Quarta-feira à tarde, ceia à base de feijocas no salão paroquial. Seguir-se-á o concerto.”

“O custo da participação na reunião sobre “oração e jejum” inclui as refeições.”

“O grupo de recuperação da confiança em si mesmos reúne-se na quinta-feira, às 7 da tarde. Por favor, usai a porta de trás.”

“Na sexta-feira, às 7 da tarde, as crianças do Oratório representarão “Hamlet” de Shakespeare, no salão da igreja. A comunidade está convidada a tomar parte nesta tragédia.”

“Queridas senhoras, não esqueçais a venda de beneficência! É um bom modo de vos libertardes das coisas inúteis que estorvam em casa. Trazei os vossos maridos.”

“O coro das pessoas de sessenta anos dissolver-se-á durante todo o Verão, com o agradecimento de toda a paróquia.”

“Na quinta-feira, às 5 da tarde, haverá uma reunião do grupo das mamãs. Roga-se a todas as que queiram fazer parte das mamãs que se dirijam ao pároco no cartório paroquial.”

“Tema da catequese de hoje: “Jesus caminha sobre as águas”. A catequese de amanhã: “À procura de Jesus”.”

Afixado por: Jorge Castro (OrCa) / 22:53


março 29, 2006

"Couves E Alforrecas" ou M.R.P., a inominável

Há nomes que, se virmos bem, não se enxergam. Há, porventura, nomes que, se atentarmos ainda um pouco melhor, nem existem... (ver notícia a propósito aqui)

M.R.P. - e perdoar-me-ão que não estenda o nome mas, pelos vistos, não se pode pois é marca registada (!?!...) - não quer que João Pedro George lance ao mundo o seu livro "Couves E Alforrecas: Os Segredos Da Escrita de M.R.P" (uma vez mais, não se pode dizer aqui o nome...), livro no qual aquele professor e crítico literário se debruça perigosamente sobre a obra iridescente e, quiçá, apologética da retumbante M.R.P. (peço, de novo e sempre, desculpas), tendo, até, descoberto ou desvendado diversíssimas coincidências na autora de "Não Há Coincidências".

E não quer tal através de providência cautelar que pretensamente obrigaria à recolha da obra, pela singela razão de que o autor, segundo a nossa seráfica M.R.P., difama, viola direitos de personalidade (?) e direitos de autor, além de perpetrar, ainda «ofensas graves» à escritora.

O editor de M.R.P., o A.L.F. da O.L. (aqui, as cautelas recomendam também o uso das iniciais, não vá o Diabo tecê-las...) ajuda à corda do sino, afirmando angelicalmente que o livro de João Pedro George se "trata de um proveito próprio para tentar ganhar dinheiro, através do trabalho dos outros» - seja lá o que for que isso queira significar e, se é o que parece, se não se trata de um desidério perseguido por uma boa parte da humanidade.

Mas será a M.R.P. o próprio Deus reencarnado? Ou pensará que o é - o que vai dar quase ao mesmo? E que, assim sendo, além de inominável, é intocável? Incensurável? Inapreciável? Inqualificável? Inenarrável?

Eu sempre pensei que isto de escrever umas coisas, por aqui e por ali, tem muito a ver com aquela situação proverbial de que quem anda à chuva se molha. Mas M.R.P. não pensa assim. Ela anda à chuva, mas seca, numa nova versão do milagre de andar sobre as águas (pisando as pedrinhas dissimuladas sob a superfície).

E ai da nuvem que sobre ela despenhe o mais leve borrifo, que M.R.P. ergue o seu elegantérrimo bracinho aos céus da garridice e lança-lhe o anátema da providência cautelar, que não há cúmulo nem nimbo que aguente!

Então o homem quer discorrer sobre a obra pública e publicada, para aí em 4.935 edições estentoricamente lançadas a um público faminto, e a diva não deixa? Que temerá a diva? Que transcendências mirabolantes terá o crítico apurado na obra de M.R.P. a que o comum dos mortais não deve aceder segundo o furibundo diktat da inefável autora?

Oh, João Pedro George, homem, você faça-me a fineza de me guardar um livrinho das suas "Couves E Alforrecas" que eu fiquei para aqui - sei lá - a arder em impaciências e curiosidades!

E então quando o A.L.F. da O.L. refere que o João Pedro George apenas procura protagonismo... é de ir às lágrimas. Vindo, então, de quem vem faz lembrar a semi-parábola do roto e do nu, se a grossura do argumento coubesse na finura de alguma parábola.

Estas coisas tocam-me sempre numa corda meio religiosa que eu tenho ali por alturas das costelas flutuantes e não consigo evitar recorrer, espasmodicamente, a uma das bem-aventuranças, que começa assim: beati pauperes spirito... que não há um céu que os carregue!

(Sim, eu sei que estou para aqui a armar ao ingénuo e tal mas que tudo isto tem a ver com números. É o tal problema que nós temos com a matemática, pois...)

Afixado por: Jorge Castro (OrCa) / 22:37


março 28, 2006

fotografando o dia (19)


colhe a graça da garça
e a agreste candura
daquela estrela esparsa
nalgum céu de negrura
onde o azul trespassa
a infinita lonjura

- foto e poema de Jorge Castro

Etiquetas:


Afixado por: Jorge Castro (OrCa) / 00:50


março 24, 2006

fotografando o dia (18)


desencontro

arestas vivas
facas
gumes
raiva ou fome

dor de ter ou de não ter
que nos transporta
para além
do bem
do mal
da fúria à solta

até àquele lugar
além de nós
onde estamos
sem ninguém à nossa volta

- foto e poema de Jorge Castro
- foto extraída da série "Reflexos da Cidade" -

Etiquetas:


Afixado por: Jorge Castro (OrCa) / 18:31


março 21, 2006

dia mundial da poesia

Os "senhores do mundo" preocupam-se cada vez mais com a eliminação dos problemas desse mesmo mundo na perspectiva "bushquímana" segundo a qual, quando não houver mais árvores, deixaremos de nos preocupar com os incêndios...

No ilustre solo lusitano, dando bom eco desse postulado, tudo se fecha: escolas, hospitais, ctt..., até as caras dos seres viventes.

Também perdi estupidamente uma amizade e chegou, hoje, a contribuição autárquica para pagar.

Afinal, quem é que me disse que dia é hoje?... Ou, então, com quantas flores escreverei hoje algum poema?

Afixado por: Jorge Castro (OrCa) / 15:08


março 19, 2006

fotografando o dia (17)


O Sapato Afogado

junto à praia
rés do mar
estava um sapato

velho já
cambado
triste
e afogado
perdido o par na lonjura desse mar
do atacador já lhe cansava o hiato

uma onda lhe tocou

e foi medonho

naquele último alento
- como que em voo frágil solto ao vento -
para reter o que há na vida de um sapato
prendeu-se à praia

mas perdeu o sonho.

- foto e poema de Jorge Castro
- este poema foi publicado no livro "Contra A Corrente" -

Etiquetas:


Afixado por: Jorge Castro (OrCa) / 11:00


março 17, 2006

A Paris!

Um muito breve apontamento, apenas para referir que, em França, especialmente na sua capital,
com todos os possíveis defeitos ou idiossincrasias, se respira, ainda.

E nem o ar rarefeito das poluições todas impede que o direito à indignação ultrapasse as barreiras limitadoras da demogagia e da prepotência, numa tentativa poderosa de rasgar outros céus e outros horizontes.

Talvez hoje e aqui faça sentido, parafraseando um dito célebre, dizer:

"Je suis um parisien!"

Afixado por: Jorge Castro (OrCa) / 14:33


março 15, 2006

Hermético Hélder?

Questão momentosa:
Herberto Hélder, um poeta de referência ou alguém cuja transcendência poética
coloca em "fora de jogo" a grande gneralidade dos seus possíveis leitores?
Falar-se-á sobre isso, hoje, dia 15 de Março, na Biblioteca Municipal de Cascais, em São Domingos de Rana, em mais uma sessão de
Noite Com Poemas:
Hermético Helder?


Ainda mais além da poesia

Há dias coloquei uma foto com um pequeno poema e, nessa foto, está alguém que ontem deixou de estar fisicamente perto de nós, para sempre... A ela:

a tua vida

algures
uma nuvem que se aviva na memória do teu rosto
do teu carinho
das tuas impertinências

tenho
à minha volta
a tua voz como alimento do meu tempo

não sei chorar a tua ausência
porque não te sinto ausente

mas não sei porque o sentir-te assim presente
provoca em mim esta comoção de lágrimas

éramos dois neste caminho
mas só eu fico
e o caminho continua passo a passo

tenho e sinto esta dor a oprimir-me em fogo o peito
mas estou certo de te encontrar tranquila em mim
sempre que os meus dias se encham de solidão.

- Jorge Castro

Etiquetas:


Afixado por: Jorge Castro (OrCa) / 09:39


março 13, 2006

curiosidade literária...

(acabadinha de chegar à minha caixa de correio)



Se o Mário Mata,
a Florbela Espanca,
o Armando Gama,
e o Jorge Palma,
O que é que a Rosa Lobato Faria?

Afixado por: Jorge Castro (OrCa) / 12:31


março 11, 2006

A Poesia Nos Blogs - algumas imagens

Alguns dos momentos do encontro que teve lugar na
Quinta da Ribeirinha - Póvoa de Santarém, em 04 de Março de 2006,
sobre poemas e poetas da blogosfera nacional podem ser visualizados
aqui.

Afixado por: Jorge Castro (OrCa) / 16:50


março 08, 2006

fotografando o dia (16)

DIA INTENCIONAL DA MULHER


ruga a ruga
são histórias
que se contam no sorriso
volta e meia são memórias
de quem vai perdendo o siso
ao contar só por glórias
mágoas
dor e sofrimento
...
depois fica tal o vento
um pensamento indeciso
por se cumprir na memória
o alimento preciso

- foto e poema de Jorge Castro

Rectificação: Como muito bem alerta, de além-mar, a Márcia Maia,
a canção de Geraldo Vandré tem por título
"Caminhando ou Pra não dizer que não falei de flores".

Etiquetas:


Afixado por: Jorge Castro (OrCa) / 23:01


março 05, 2006

A Poesia Nos Blogs
- do menino do Lapedo a Viriato,
passando pela Quinta da Ribeirinha

(Dedico este texto aos meus amigos Fernanda Frazão e José Fanha, companheiros preciosos na realização do encontro)


Pela Póvoa de Santarém, na Quinta da Ribeirinha, a 4 de Março, reuniram-se quarenta e cinco poetas, vindos das quatro partidas da nossa terra, afrontando vendavais e sacudindo conformismos, dando corpo e viva voz a esse movimento de poesia que flui diariamente pelo mundo dos blogs.

Presentes esses quantos e outros mais que participaram por mensagens ou mensageiros, não podendo, de corpo, estar presentes.

Recebidos num excelente espaço, recheado de apetecíveis iguarias e vinhos da região, reviveram-se porventura ancestrais encontros de bardos que, entre libações e rituais encantatórios perdidos na penumbra densa do tempo, exorcizavam medos, entoando cânticos e poesias à vida e aos afectos, assim transmitindo testemunho à geração vindoura.

Somos, enfim, esse país de poesia e de poetas. Múltiplos, diversificados, truões ou apaixonados, de sorriso aberto à mistura de uma lágrima, em busca da utopia “mesmo na noite mais triste”.

Não há poetas bons nem poetas maus a não ser no mundo limitado e circunscrito da cabeça dos “literatos”. Há, apenas, aqueles a quem a poesia apetece e, por vezes, brota por cada poro do corpo, em cada alento da alma.

Consumi-la-á quem queira – isso é outra história! Agora, o poeta que a sente, que a vive, que a grita, lamechas talvez, talvez grandioso, esse continua a carrear “o facho na treva / ao fundo da mina / e apenas vê o que não ilumina”.

Ali, todos foram iguais e as suas vozes foram ouvidas. Para o bem de todos nós.

- Jorge Castro

Nota - para apaziguar curiosidades mais insaciáveis, aconselha-se uma vista de olhos pelas excelentes fotografias do Ognid (Catedral) .

Afixado por: Jorge Castro (OrCa) / 11:46


março 03, 2006

A POESIA NOS BLOGS

Ponto da situação e algumas informações úteis:

- poemas participantes: 58

- autores inscritos: 26

- participantes no encontro com presença anunciada: 25

- acompanhantes, leia-se outros amantes de poesia: 16

(pormenores ali do lado esquerdo)

Para aqueles que se deslocam em viatura própria - provavelmente todos - eis umas dicas para fácil localização da Quinta da Ribeirinha, na Póvoa de Santarém:


- circulação pela A1


para quem for proveniente do norte: saída em Torres Novas.

para quem for proveniente do sul: saída em Santarém.

Num caso e noutro há que procurar a estrada antiga que efectua a ligação entre Santarém e Torres Novas. A Póvoa de Santarém é atravessada por essa estrada. Quando encontrarem um semáforo, quem vier do norte, vira à direita; quem vier do sul, vira à esquerda. A Quinta da Ribeirinha fica a uns escassos cem metros desse semáforo, do lado esquerdo da estrada.

Depois, é comer-lhe e beber-lhe. Serão adequados uns beijos e uns abraços, alguns cumprimentos informais e comprimidos para a rouquidão. Surpresas de circunstância serão benvindas.

E, assim, acontece.

Boa viagem a todos e até sábado.


Afixado por: Jorge Castro (OrCa) / 01:05


Arquivo:
Janeiro 2004 Fevereiro 2004 Março 2004 Abril 2004 Maio 2004 Junho 2004 Julho 2004 Agosto 2004 Setembro 2004 Outubro 2004 Novembro 2004 Dezembro 2004 Janeiro 2005 Fevereiro 2005 Março 2005 Abril 2005 Maio 2005 Junho 2005 Julho 2005 Agosto 2005 Setembro 2005 Outubro 2005 Novembro 2005 Dezembro 2005 Janeiro 2006 Fevereiro 2006 Março 2006 Abril 2006 Maio 2006 Junho 2006 Julho 2006 Agosto 2006 Setembro 2006 Outubro 2006 Novembro 2006 Dezembro 2006 Janeiro 2007 Fevereiro 2007 Março 2007 Abril 2007 Maio 2007 Junho 2007 Julho 2007 Agosto 2007 Setembro 2007 Outubro 2007 Novembro 2007 Dezembro 2007 Janeiro 2008 Fevereiro 2008 Março 2008 Abril 2008 Maio 2008 Junho 2008 Julho 2008 Agosto 2008 Setembro 2008 Outubro 2008 Novembro 2008 Dezembro 2008 Janeiro 2009 Fevereiro 2009 Março 2009 Abril 2009 Maio 2009 Junho 2009 Julho 2009 Agosto 2009 Setembro 2009 Outubro 2009 Novembro 2009 Dezembro 2009 Janeiro 2010 Fevereiro 2010 Março 2010 Abril 2010 Maio 2010 Junho 2010 Julho 2010 Agosto 2010 Setembro 2010 Outubro 2010 Novembro 2010 Dezembro 2010 Janeiro 2011 Fevereiro 2011 Março 2011 Abril 2011 Maio 2011 Junho 2011 Julho 2011 Agosto 2011 Setembro 2011 Outubro 2011 Novembro 2011 Dezembro 2011 Janeiro 2012 Fevereiro 2012 Março 2012 Abril 2012 Maio 2012 Junho 2012 Julho 2012 Agosto 2012 Setembro 2012 Outubro 2012 Novembro 2012 Dezembro 2012 Janeiro 2013 Fevereiro 2013 Março 2013 Abril 2013 Maio 2013 Junho 2013 Julho 2013 Agosto 2013 Setembro 2013 Outubro 2013 Novembro 2013 Dezembro 2013 Janeiro 2014 Fevereiro 2014 Março 2014 Abril 2014 Maio 2014 Junho 2014 Julho 2014 Agosto 2014 Setembro 2014 Outubro 2014 Novembro 2014 Dezembro 2014 Janeiro 2015 Fevereiro 2015 Março 2015 Abril 2015 Maio 2015 Junho 2015 Julho 2015 Agosto 2015 Setembro 2015 Outubro 2015 Novembro 2015 Dezembro 2015 Janeiro 2016 Fevereiro 2016 Março 2016 Abril 2016 Maio 2016 Junho 2016 Julho 2016 Agosto 2016 Setembro 2016 Outubro 2016 Novembro 2016 Dezembro 2016 Janeiro 2017 Fevereiro 2017 Março 2017 Abril 2017 Maio 2017 Junho 2017 Julho 2017 Agosto 2017 Setembro 2017

This page is powered by Blogger. Isn't yours?Weblog Commenting by HaloScan.com



noites com poemas 2


capa do livro Farândola do Solstício
Obras publicadas
por Jorge Castro

contacto: jc.orca@gmail.com

Autor em

logo Apenas

Colaborador de

logo IELT

Freezone

logo Ler Devagar


Correntes de referência:
80 Anos de Zeca
... Até ao fim do mundo!
Aventar
Encontro de Gerações (Rafael)
É sobre o Fado (João Vasco)
Conversas do Café Grilo
Espaço e Memória - Associação Cultural de Oeiras
Final Cut - o blogue de cinema da Visão
Oeiras Local
O MOSCARDO
Poema Dia
Profundezas

Correntes de proximidade:
A Funda São
Amorizade (Jacky)
A Música das Palavras (Jaime Latino Ferreira)
Anomalias (Morfeu)
Ars Integrata
Ars Litteraria
Ars Poetica 2U
As Causas da Júlia (Júlia Coutinho)
As Minhas Romãs(Paula Raposo)
Belgavista (Pessoana)
Blogimmas
Blogotinha
Bloguices
Câimbras Mentais (AnAndrade)
Carlos Peres Feio
chez maria (maria árvore)
Coisas do Gui
deevaagaar
Divulgar Oeiras Verde (Ana Patacho)
e dixit (Edite Gil)
Fotos de Dionísio Leitão
Garganta do Silêncio (Tiago Moita)
Isabel Gouveia
Itinerário (Márcia Maia)
Metamorfases
Mudança de Ventos (Márcia Maia)
Mystic's
Nau Catrineta
Notas e Comentários (José d'Encarnação)
Novelos de Silêncio (Eli)
Pedro Laranjeira
o estado das artes
Palavras como cerejas (Eduardo Martins)
Parágrafos Inacabados (Raquel Vasconcelos)
O meu sofá amarelo (Alex Gandum)
Persuacção - o blog (Paulo Moura)
Queridas Bibliotecas (José Fanha)
Raims's blog
Relógio de Pêndulo (Herético)
Risocordeluz (Risoleta)
Rui Zink versos livros
Repensando (sei lá...)
sombrasdemim (Clarinda Galante)
Tábua de Marés (Márcia Maia)
Valquírias (Francília Pinheiro)
Vida de Vidro
WebClub (Wind)

Correntes de Ver:
desenhos do dia (João Catarino)
Esboço a Vários Traços

Correntes Auspiciosas:
ABC dos Miúdos
Manifesto-me
Netescrita
Provérbios

Correntes Favoráveis
A P(h)oda das Árvores Ornamentais
Atento (Manuel Gomes)
A Paixão do Cinema
A Razão Tem Sempre Cliente
A Verdade da Mentira
Bettips
Blog do Cagalhoum
Cadeira do Poder
CoeXist (Golfinho)
Congeminações
Crónica De Uma Boa Malandra
Desabafos - Casos Reais
Diário De Um Pintelho
Editorial
Escape da vida...
Espectacológica
Eu e os outros...
Eu sei que vou te amar
Fundação ACPPD
Grilinha
Há vida em Markl
Hammer, SA
Horas Negras
Intervalos (sei lá...)
João Tilly
Lobices
Luminescências
Murcon (de JMVaz)
Nada Ao Acaso
NimbyPolis (Nilson)
O Blog do Alex
O Bosque da Robina
O Jumento
(O Vento Lá Fora)
Outsider (Annie Hall)
Prozacland
O Souselense
O Vizinho
Palavras em Férias
Pastel de Nata (Nuno)
Peciscas
Pelos olhos de Caterina
Primeira Experiência
Publicus
Puta De Vida... Ou Nem Tanto
Santa Cita
The Braganzzzza Mothers
Titas on line
Titas on line 3
Senda Doce
TheOldMan
Traduzir-se... Será Arte?
Um pouco de tudo (Claudia)
Ventosga (João Veiga)
Voz Oblíqua (Rakel)
Zero de Conduta
Zurugoa (bandido original)

Corrente de Escritas:
A Arquitectura das Palavras (Lupus Signatus)
Além de mim (Dulce)
Ana Luar
Anukis
Arde o Azul (Maat)
Ao Longe Os Barcos De Flores (Amélia Pais)
Babushka (Friedrich)
baby lónia
Branco e Preto II (Amita)
Biscates (Circe)
blue shell
Cartas Perdidas (Alexandre Sousa)
Chez Maria (Maria Árvore)
Claque Quente
2 Dedos de Prosa e Poesia
Escarpado (Eagle)
Erotismo na Cidade
Fôlego de um homem (Fernando Tavares)
Há mais marés
Humores (Daniel Aladiah)
Insónia (Henrique Fialho)
Klepsidra (Augusto Dias)
Letras por Letras
Lua de Lobos
Lus@arte (Luí­sa)
Mandalas Poemas
Menina Marota
Novos Voos (Yardbird)
O Eco Das Palavras (Paula Raposo)
Porosidade Etérea (Inês Ramos)
O Sí­tio Do Poema (Licínia Quitério)
Odisseus
Paixão pelo Mar (Sailor Girl)
Palavras de Ursa (Margarida V.)
Palavrejando (M.P.)
Poemas E Estórias De Querer Sonhar
Poesia Portuguesa
Poetizar3 (Alexandre Beanes)
Serena Lua (Aziluth)
Sombrasdemim (Maria Clarinda)
Sopa de Nabos (Firmino Mendes)
T. 4 You (Afrodite)
Uma Cigarra Na Paisagem (Gisela Cañamero)
Xanax (Susanagar)

A Poesia Nos Blogs - equipagem:
A luz do voo (Maria do Céu Costa)
A Páginas Tantas (Raquel)
ante & post
As Causas da Júlia
Cí­rculo de Poesia
Confessionário do Dilbert
Desfolhada (Betty)
Estranhos Dias e Corpo do Delito (TMara)
Extranumerário (GNM)
Fantasias (Teresa David)
Fata Morgana... ou o claro obscuro
Jorge Moreira
MisteriousSpirit (Sofia)
Passionatta (Sandra Feliciano)
Peças soltas de um puzzle
Poemas de Trazer por Casa e Outras Estórias - Parte III
Poesia Viva (Isabel e José António)
Poeta Salutor (J.T. Parreira)
Que bem cheira a maresia (Mar Revolto-Lina)
Sais Minerais (Alexandre)
Silver Soul
Sombra do Deserto (Rui)

Navegações com olhos de ver:
Em linha recta (lmatta)
Fotoescrita
gang00's PhotoBlog
Nitrogénio
Objectiva 3
Pontos-de-Vista
Rain-Maker
O blog da Pimentinha (M.P.)
Passo a Passo
Portfólio Fotográfico (Lia)
Words (Wind)

Já navegámos juntos...
Aliciante (Mad)
A Rádio em Portugal (Jorge G. Silva)
Atalhos e Atilhos
Cu bem bom
Encandescente
Geosapiens
Incomensurável
Isso Agora...
Letras com Garfos (Orlando)
Luz & Sombra
Pandora's Box
Pés Quentinhos
Praça da República em Beja (nikonman)
SirHaiva
Testar a vida
Tuna Meliches

Correntes de Consulta:
Abrupto
A Lâmpada Mágica
Aviz
Blogopédia...
Bloguítica
Contra a Corrente
Contra a Corrente
Conversas de Merda
Cravo e Canela
Do Portugal Profundo
Inépcia
Médico explica medicina a intelectuais
Oficina das Ideias
Portugal No Seu Pior
Professorices
República Digital
Retórica e Persuasão
Ser Português (Ter Que)
You've Got Mail

Correntes interrompidas:
A Nau Catrineta (zecadanau)
Aroma de Mulher (Analluar)
A Voz do Fado!
blog d'apontamentos (Luí­s Ene)
Catedral (ognid)
Cidadão do Mundo
Conversas de Xaxa 2
CORART - Associação de Artesanato de Coruche
Cumplicidades (Maria Branco)
Flecha
Fraternidades (Fernando B.)
Ilha dos Mutuns(Batista Filho)
Histórias do mundo (Clara e Miguel)
Lazuli (Fernanda Guadalupe)
luz.de.tecto (o5elemento)
Letras ao Acaso
Madrigal - blog de poesia
Mulher dos 50 aos 60 (Lique)
O Mirmidão
O soldadinho de chumbo
Palavras de Algodão (Cris)
podiamsermais (Carlos Feio)
Poemas de Manuel Filipe
Porquinho da Índia (Bertus)
Um Conto à Quinta
Xis Temas (António San)

noites com poemas